5 razões por que as pessoas odeiam a Apple

Toda empresa possui inimigos, e a Apple, pela importância que tem no mercado e por sua postura, realmente deixa  muita gente  alterada. Algumas pessoas chegam a odiar mais a empresa de Steve Jobs do que nazistas, baratas ou filas de banco, e deixam comentários raivosos em blogs sobre a companhia. Baseado em minha extensa observação das espécies, os chamados “Apple-haters” se enquadram em cinco categorias. Veja abaixo quais são elas:

Você acredita que, ao comprar algo da Apple,  diminui sua individualidade
Se você se recusa a comprar um produto da empresa, como quem faz um ato heróico pela individualidade e liberdade, essa é sua categoria. Ao entrar em fóruns ou fazer comentários, usa palavras como “lavagem cerebral” e acha que todo mundo que usa Apple é “fanboy”.

apph1.jpgMuitos deles simplesmente atropelam a gramática em seus comentários. Isso sem falar que, quando a discussão esquenta, alguns apelam para o preconceito, questionando a sexualidade de quem usa os equipamentos da Apple.

– Essa é uma boa razão para se odiar a Apple? Não. Sua escolha de produtos não diz nada sobre sua individualidade. Um indivíduo de verdade não liga para o que a massa faz, ele faz o que é correto para ele. Algumas vezes isso significa seguir por um caminho único, mas, outra vezes, o que o rebanho faz também está Ok. Se o seu senso de individualidade é construído a partir dos produtos que você compra, então você não possui individualidade – só está enganando a si mesmo ao pensar que é um grão de areia único especial.

Mais ainda, o sistema Mac OS possui apenas 5% de participação no mercado, enquanto o Windows está presente em mais de 90% dos desktops. O iPhone é apenas o terceiro smartphone mais popular nos Estados Unidos, atrás do Android e BlackBerry. Se a Apple está tentando sugar todos para seu “grupo mental” universal, eles ainda não estão fazendo um ótimo trabalho.

Você odeia a cultura da Apple
Sua palavra favorita é “arrogância”. Você olha para a cultura de segredo da Apple, suas lojas engenhosas, suas campanhas publicitárias refinadas, e pensa que a Apple se acha superior.

Existe alguma verdade nisso. A Apple realmente pensa que é superior. Mas eles não estão sozinhos. Todos na indústria de computadores pensam que são melhores que os outros – só não conseguem vender bem esse conceito. O mesmo vale para muitas religiões. É parte da condição humana pensar que sua tribo é melhor que todas as outras.

– Essa é uma boa razão para odiar a Apple? Não. Por que você se importa com o que a companhia pensaria sobre você ou que ela pensa de si mesma? Você fica alterado se um atendente do McDonald’s te olha de um jeito estranho?

Você teve uma experiência ruim com produtos da Apple
Toda companhia produz “abacaxis” ocasionais, e se você está emperrado com um deles, provavelmente irá odiar a empresa que te vendeu. Faz sentido.

– Essa é uma boa razão para odiar a Apple? Claro que sim. Se uma companhia me vende um produto ruim ou fornece um serviço fraco, eles estão mortos para mim. Isso sou eu.

Por outro lado, relativamente poucas pessoas tiveram experiências ruins com a Apple. A companhia costuma ter um ótimo controle de qualidade, e o nível de satisfação de seus consumidores normalmente está entre os mais altos. Mas isso não impede que surjam casos de iMacs entregues com telas rachadas, iPods que explodem.

Mas e o problema de antena do iPhone 4? Certamente isso baixou os níveis de satisfação dos clientes da companhia.

Será? Eu não vi nenhuma pesquisa para suportar essa informação. Parece que se você está em uma área em que o sinal já era ruim, o design de antena do iPhone 4 iria apenas piorá-lo. Se o sinal for bom, você não deveria ter problemas.

Mas se você é uma das pessoas com problemas com o iPhone, ou qualquer outro produto ou serviço da Apple, eu não te culpo por odiar a companhia.

wwdcjobs29.jpg

Problemas à vista: Jobs durante apresentação do iPhone 4 na WWDC 2010, nos EUA

A Apple não foi feita para você
Há muitas pessoas para as quais os produtos da Apple simplesmente não funcionam. A companhia raramente é a escolha indicada para empresas de médio e grande porte. Ela não fornece o tipo de relação mais próxima que esses clientes exigem.

O iPhone não é para qualquer pessoa. O serviço de telefone, por exemplo, é fraco em muitas áreas dos Estados Unidos, incluindo cidades importantes como Nova Iorque, São Francisco e Boston. Mas isso tem muito a ver com a AT&T, operadora que tem exclusividade na oferta do celular nos Estados Unidos. Por isso, se ligações telefônicas são muito importantes para você, que vive nos EUA, então é melhor pensar em uma alternativa. E se os norte-americanos se importam com tethering (uso do iPhone como modem, recurso disponível no Brasil) multitarefa de verdade, um sistema operacional aberto e ou suporte para Flash, então um Android é uma escolha melhor.

– Essa é uma boa razão para odiar a Apple? Não. Por exemplo, eu não gosto do McDonald’s, mas não gasto muita energia falando mal dele. Eu simplesmente não vou até lá.

Você odeia a arquitetura fechada da Apple
Ao não comprar nada da Apple, você se vê lutando pela liberdade. Você acredita que o controle da companhia sobre a App Store é uma afronta ao seu direito de ler, ver e rodar o aplicativo de sua escolha, sem que o Mr. Steve Jobs te diga o que fazer.

– Essa é uma boa razão para odiar a Apple? Bem, mais ou menos. As restrições da App Store protegem o consumidor. O iPhone é um aparelho para pessoas que não querem passar muito tempo customizando, gerenciando, e aprendendo sobre como usar seus telefones, e as restrições da loja de aplicativos da Apple significam que os consumidores passam muito menos tempo se preocupando com apps ruins, pornográficos (que muitas pessoas não querem ver, apesar da popularidade) e com malware.

Mas as restrições da App Store podem realmente ir muito longe, algumas vezes, como quando bloquearam o app do cartunista ganhador do prêmio Pulitzer. Isso foi erro. E apesar de a Apple ter se retratado nesses casos, não sabemos como a companhia agiu em outros casos semelhantes.

No entanto, mesmo quando a Apple bloqueia um aplicativo na App Store, você não está impedido de visualizar conteúdo relacionado. A companhia não bloqueia o navegador do iPhone (era só o que faltava…), apenas na loja de aplicativos. Por isso, pornografia e opiniões políticas banidas da App Store ainda estão disponíveis no browser.

De modo geral, minha queixa não é pelas restrições da App Store existirem, mas o fato de que elas precisam ser aprimoradas, pensando mais no usuário. Eu quero um app nativo do Google Voice – a Google desenvolveu um, rejeitado pela Apple. Eu quero um aplicativo que me permite atualizar todos os meus podcasts automaticamente, wireless, sem precisar sincronizar com o iTunes; a Apple bloqueou um app de podcasts em 2008.

Ao mesmo tempo em que mata esses apps úteis,  a Apple mantém uma centena de aplicativos “toscos”, incluindo iFart Mobile, Atomic Fart, Fart Piano, 1.000.000 Fart Generatos, e algo chamado “Bluetooth Fart” (porque, provavelmente, puns USB e Firewire não são bons o bastante), sobre gases, por exemplo.

Mesmo assim, a Apple não está bloqueando suas escolhas. A companhia não é sua única escolha em nenhum dos mercados em que atua. Você sempre poderá comprar um smartphone Android, um desktop Windows e baixar músicas por outro site, se quiser. Se a Apple está tentando controlar os pensamentos nos locais onde vende seus produtos, está fazendo um trabalho ruim, pois existe uma alternativa para os seus aparelhos em qualquer loja de eletrônicos.


Anúncios
por Thiago Postado em Apple

O que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s